14 maio 2015

[Resenha] A Mais Pura Verdade - Nunca é tarde demais para viver a maior aventura da nossa vida - Dan Gemeinhart

SinopseEm todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, em certo sentido um sentido muito importante, Mark não tem nada a ver com as outras crianças. Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. 
Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.

Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça. 
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

Um dos gêneros literários que vem fazendo muito sucesso atualmente é o sick-lit. Sick-lit são livros onde o protagonista tem alguma doença grave, como câncer e que a história gira ao redor dessa situação.

A aceitação do termo (que significa “literatura doentia”, em tradução livre) não foi das melhores, já que ele traz uma conotação negativa, ignorando muitos outros aspectos desse tipo de enredo. Geralmente voltadas para adolescentes, as histórias são protagonizadas por personagens com doenças graves, depressão, anorexia, tentativas de suicídio e outros problemas antes não abordados nas narrativas fantásticas que fizeram sucesso nos últimos anos.

Mark é uma criança inteligente e perspicaz que foi diagnosticado com câncer. Com apenas 12 anos de idade, ele já passou por muita coisa por conta dos tratamentos e da rotina hospitalar. Mas ele não se deixa abalar. Após a última avaliação médica, que por sinal, é preocupante, ele decide realizar o seu sonho, custe o que custar. E para isso, foge de casa com tudo o que mais gosta para chegar ao topo do Monte Rainier.

A escalada tem um significado especial para ele, pois ele fez uma promessa a alguém muito querido. E promessa é dívida....

Mark, apesar de jovem, é extraordinário. A complexidade na composição do personagem é um dos fatores que prende a atenção do leitor do começo ao fim do livro. Ele consegue ser carismático e ao mesmo tempo adorável.

O livro não é para aqueles que se emocionam facilmente. O uso de lencinhos será obrigatório nessa viagem de Mark até o Monte Rainier!


"- Não gosto de chorar na frente deles - ele disse, com a voz trêmula. -Eu sei como isso os deixa tristes. Não gosto de contar a eles como eu me sinto mal. Ou como sinto medo. Não quero fazer isso com eles. Você entende?
-É como um segredo, ele continuou ainda chorando. -Não consigo guardá-lo sozinho, Jess. É muito para mim. Posso chorar com você? Você guarda o meu segredo?"

0 comentários:

Postar um comentário

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |