26 maio 2014

[Resenha] A Morte da Luz – George R.R. Martin


Título: A Morte da Luz
Autor/a: George R.R. Martin
Editora: Leya
Páginas: 334

Primeiro livro escrito por George R. R. Martin, autor da renomada série As Crônicas de Gelo e Fogo, foi premiado com os principais prêmios do mundo de fantasia e ficção científica. Desde essa primeira história o autor já mostra o que o tornaria mundialmente famoso, seus personagens que não são nem vilões, nem heróis, mas sim seres complexos como todos nós. Um planeta está prestes a morrer, seu caminho se afasta das estrelas que trazem vida àquele lugar. Suas 14 cidades, construídas rapidamente quando o planeta passou por perto de uma grande estrela, também estão moribundas. Worlorn não é o planeta que Dirk t’Larien imaginava, e Gwen Delvano não é mais a mulher que conhecera. Ela está ligada a outro homem e a esse planeta moribundo preso no crepúsculo, seguindo em direção à noite sem fim. Em meio à paisagem desoladora, há um violento choque de culturas, no qual não há códigos ou honra e uma batalha se espalhará rapidamente.


Antes de mais nada... Prazer em conhecê-los caros leitores, sou a nova resenhista do blog. Espero que possamos passar bons tempos juntos e que nossa convivência seja uma troca de experiências. Do mesmo modo que quero passar meus melhores e piores momentos com cada leitura para vocês, desejo que façam o mesmo e,assim, possamos construir uma relação amigável para as próximas resenhas que estão por vir... Desejo a todos uma boa leitura. Mãos a obra...

Resenha:
            
Antes de mais nada, para vocês, fãs de ficção científica, acho que escolhi um dos autores mais renomados e difíceis para escrever sobre. Primeiro porque sua narrativa é complexa demais para poucas linhas, além do que estamos falando de Martin e convenhamos, entrar em seu mundo fantástico não tão fácil assim.
            
Sem mais delongas, quero que saiba que se você nunca leu um livro de ficção, não recomendo este livro para tal iniciação... E tenho lá meus motivos, são eles: o mundo construído pelo autor é completamente diferente de tudo que eu já vi nesse tipo de literatura, embora seja o primeiro romance do escritor, ele consegue nos guiar por um mundo totalmente futurista, com animais, naves espaciais, florestas exóticas e tudo mais. Somado a isso, também á uma característica a lá Martin, que é a avalanche de personagens que temos de lembrar até a última palavra do livro, se quisermos entendê-lo, obviamente.
            
Em termos técnicos, as páginas são amareladas e o tamanho da fonte é significativamente grande para os padrões de normais, o que nos proporciona uma leitura mais agradável. A capa não desperta tanta ânsia de leitura. Tanto o título da obra quando o nome do autor estão em auto relevo. Bom, como já havia dito, beleza aos olhos não são o que conta aqui.
            
O enredo é muito bem construído, as personagens são bem profundas. O autor consegue muito bem transmitir suas ações e formas de pensar, mas (e é por isso que estamos falando de Martin e não outro escritor de ficção), o narrador não aponta a índole de cada um, mas sim deixa a serviço do leitor julgar o que achar correto e errado.
           
A história é relativamente simples. Dirk (nosso narrador e personagem principal) vai a um planeta distante visitar seu antigo amor. Ao chegar lá, ele se depara com uma cultura completamente distinta (não que a dele fosse mais normal pra nós, mas ok). E aqui está um ponto importante do livro, a cultura, ou melhor as culturas, já que o “novo mundo” é fragmentado em várias cidades, cada qual com sua cultura.
           
Esvoch. Cidade do Festival construída por Eshellin.” (pg. 326)
            
Sim é isso mesmo que você está pensando. Ao final do livro, temos um glossário explicando sobre os mundos, a história de cada cidade e termos específicos encontrados no decorrer da obra.
           
Nosso Dirk t’Larien sente-se atraído novamente por Gwen, sua antiga paixão, que está ligada de alguma forma com outros homens. Ela se torna uma Betheyn.
           
Betheyn.  Termo Kavalariano para mulher ligada a um homem e sob sua proteção; literalmente, esposa-escrava.” (pg. 324)
           
É claro que vindo de Martin, o livro não é apenas uma narrativa de amor. Conta com várias fugas, do tipo pega-não-pega, além de batalhas futuristas e combates com naves e artifícios espaciais.

“Dois outros aeromóveis descansavam ali, um modelo esportivo vermelho de asas curtas e um pequeno negro e prateado com forma de lágrima, ambos havia muitos abandonados.” (pg.91)
           
Torno a reforçar que não é apropriado para alguém que nunca teve contato com esse tipo de leitura, mas, para você já se deleitou com tal opção, sem dúvida essa será uma opção que lhe agradará deveras.

OBS.: Não se esqueçam de comentar. Deixem sua opinião sobre o livro e se quiserem que eu escreva alguma resenha específica, pode deixar um comentário, prometo que tentarei responder todos... Até a próxima.

Por: Nathalia Costa
                
                    


5 comentários:

  1. Eu sou uma graaande fã do Martin, já li As Crônicas de Gelo e Fogo e O Cavaleiro dos Sete Reinos. Wild Cards está entre minhas próximas leituras e eu tô louca pra comprar A Morte da Luz, parece ser espetacular, como todas as obras do George.
    Amei a resenha, parabéns viu?
    Beijão da Gab,
    Thousand Lives to Live ♥

    ResponderExcluir
  2. Sempre quis ler esse livro e "As Crônicas de Gelo e Fogo", os dois parecem serem bem legais... Adorei o blog, seguindo!

    Beijos, Nada Proibido

    ResponderExcluir
  3. Olá Nathalia e Alef, tudo bem com vocês?

    Vim visitar e conhecer o blog através do convite que recebi por e-mail, por estarmos juntos na promoção do Bolão de Férias, e posso dizer que gostei muito daqui. Estou seguindo!!

    Nathalia, parabéns pela resenha. Eu não consegui ler As Crônicas de Gelo e Fogo ainda, acredita? Mas este livro está na minha estante tem um tempinho, acho que vou dar um jeito de ler... fiquei curiosa. :)

    Beijos e boas leituras!!!

    Nadja Moreno – Blog Escrev'Arte

    ResponderExcluir
  4. Oie! Nunca li nada do autor, mas quero conhecer alguma obra dele, vamos ver quando diminuo a pilha que já tenho aqui para isso. kkk Bom conhecer seu blog,gostei da resenha...simples e bem sincera. Geralmente entender esses mundos totalmente diferentes do nosso é um pouquinho difícil para quem não tem costume de ler, mas para nós leitores assíduos é uma missão á parte. Quando puder passa lá no meu blog também.
    Beijão!
    Monólogo de Julieta.

    ResponderExcluir
  5. Sou muito fan do Martin e esse é um dos livros dele que desejo ler, como parei na metade do 4º livros das crônicas de gelo e fogo ainda não comprei Morte da lua, mas lendo sua resenha sei que em breve vou ter de comprar o livro e ler. A escrita do autor me cativa demais, a criatividade dele me surpreende a cada página e adoro. Gostei demais de sua escrita também Nathalia, parabéns e bem vida ao canto do Aleph ;)

    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |