26 março 2014

[Resenha] Fênix: A Ilha – John Dixon


Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?








Em Fênix: A Ilha, conhecemos Carl, um garoto de 16 anos que vive se metendo em encrencas. Ele passa de uma casa de reabilitação para jovens a outras, tem vários tutores, mas sempre suas confusões acabam o levando preso novamente.

Quando Carl, em um momento de fúria, da uma surra em todo um time de futebol ele é enviado novamente aos tribunais e dessa vez o juiz determina que ele deve ficar na Ilha Fênix até completar 18 anos e ser devolvido para a sociedade como um cidadão exemplar. O que Carl não imaginava era que a Ilha Fênix, na verdade, é um campo de treinamento de mercenários. Todos os jovens enviados para lá são órfãos, pessoas que aparentemente não vão fazer falta e que o sistema vê como um tipo de empecilho.

Lá o jovem sofre nas mãos do sargento instrutor Parker, um homem muito maldoso que faz de tudo para tornar os dias do garoto ali os piores possíveis.

Ele também conhece pessoas boas, que se tornam seus amigos ali. Octavia, uma garota inteligente e forte, Ross; o cara que faz piada de tudo e alguns outros.

Como se todas as coisas ruins não bastassem, Carl encontra um diário que conta todos os horrores que acontecem na Ilha Fênix e tenta, a todo custo, encontrar uma forma de conseguir sair dali com seus amigos.

Quando Carl se torna o protegido do Ancião, o homem que domina a Ilha Fênix e que, para Carl, é um homem bom, ele acha que tudo pode acabar bem para ele e para seus amigos, mas as coisas não serão bem assim.

Achei o livro muito bom, com bastante ação e cheio de personagens cativantes. O meu preferido é Stark (o Ancião), mesmo ele sendo um cara de quem devemos desconfiar, eu acabei gostando muito dele.

A Novo Conceito fez um trabalho incrível na tradução, revisão e diagramação.

Pra quem ainda não sabe o livro deu origem a série de TV Intelligence.


1 comentários:

  1. Quase não leio sua resenha...rsrs
    Porque esse livro é o próximo da minha lista de leitura. Mas acabei lendo, curiosa que sou e não me arrependi, sua opinião me deixou bem mais interessada e não vi spoiler, não ligo muito para spoiler, mas tem histórias que é preferível esperar pelas surpresas. Adoro essa capa, tão sinistra :)

    Beijinhos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |