13 fevereiro 2014

[Resenha] " O Duque e Eu" - Julia Quinn


Sinopse - "Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida".


Minha opinião"O Duque e Eu" é o primeiro livro da série de romances históricos Família Bridgerton da autora Julia Quinn publicado pela editora Arqueiro. A família Bridgerton é composta por oito irmãos, quatro rapazes e quatro moças, sendo que metade deles já está na idade de se casarem. 

O início do livro mostra ao leitor a infância complica de Simon Basset, que perdeu sua mãe no parto e sendo filho único foi desde pequeno "descartado" pelo pai por não ser perfeito segundo os padrões do arrogante patriarca. Após se tornar adulto, Simon vai viajar o mundo para ficar o mais distante possível desse pai horrível e retorna apenas em 1813 à Londres, quando o seu pai vem a falecer. Como a família de Simon tem um título importante na sociedade londrina, ele começa a comparecer aos eventos sociais e ser "caçado" pelas mães das jovens debutantes. Anthony, o mais velho dos Bridgerton, é um velho amigo de Simon, pois estudaram juntos quando mais novos. Dessa forma, Simon tem um maior contato com Daphne (a primeira cena em que os dois se encontram é hilária!).

" - Logo você vai aprender que todos os homens têm uma necessidade inexplicável de colocar a culpa em alguém quando fazem papel de bobos - afirmou". (p. 120)

A irmã mais velha (mais velha das garotas) Daphne é a protagonista  desse primeiro livro. Daphne é inteligente, engraçada, perspicaz e engraçada, mas os rapazes da sociedade a acham normal, sem nada de especial (lembrem-se que na sociedade londrina as mocinhas precisam ser bonitas e descerebradas).

Daphne quer se casar, ter filhos e ser feliz. Simon quer fugir das mães que caçam maridos para as filhas e das filhas com imaginação fértil, que acreditam que podem laçar esse astuto Duque. Então Simon propõe um acordo com Daphne: ele passa a cortejá-la, para que ela ganhe atenção dos demais pretendentes e assim Simon consegue afastar  as mães e filhas. 
Mas quanto mais tempo passam juntos, mais eles percebem que essa farsa pode não dar tão certo como eles esperavam.

O livro é repleto de pontos positivos que atraem o leitor imediatamente: primeiro, o modo como a família Bridgerton interage e está sempre presente no livro, brincando e provocando uns aos outros, mas defendendo-se ferozmente de terceiros. É o tipo de interação que arranca risadas do leitor e torna a família extremamente carismática, quebrando os estereótipos da época. A escrita da autora também é repleta de bom-humor. Ela insere a misteriosa Lady Whistledown, que escreve crônicas de fofocas usando os nomes reais e os acontecimentos de modo bem preciso, surpreendendo a sociedade londrina e ao mesmo tempo fazendo com que todos comprem o jornal para descobrir a próxima fofoca. Existem personagens secundários como a Lady Danbury, uma senhora que fala tudo o que pensa, sem pestanejar, tornando os bailes mais toleráveis. E é claro, o casal protagonista, que desde o início da leitura consegue fazer com que o leitor se apaixone por eles. 

Enfim, são tantos aspectos positivos durante a leitura que tornam a série incrivelmente atraente para o leitor. 

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Nas primeiras páginas do livro foi colocada a árvore genealógica da família Bridgerton, com os nomes dos oitos irmãos, os títulos provisórios dos livros e a ordem da publicação. Um detalhe bem especial. 

"Os Bridgertons são, de longe, a família mais fértil da alta sociedade. Essa qualidade da viscondessa e do falecido visconde é admirável, embora se possa dizer que suas escolhas de nomes para os filhos sejam bastante infelizes. Anthony, Benedict, Colin, Dapnhe, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. É claro que a organização é sempre algo benéfico, mas seria de se esperar que pais inteligentes fossem capazes de manter os filhos na linha sem precisar escolher seus nomes em ordem alfabética". (p. 15) 


Resenha: " O Duque e Eu" - Familia Bridgerton - Livro 01 -  Julia Quinn
Edição: 1
Editora: Arqueiro

ISBN: 9788580411461

Ano: 2013

Páginas: 288
Avaliação: 4/5
Skoob: Clique aqui

0 comentários:

Postar um comentário

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |