14 novembro 2013

Resenha: "Espera" - Os Lobos de Mercy Falls - Livro 2 - Maggie Stiefvater


Sinopse - "Em Espera, Grace e Sam devem lutar para ficar em juntos. Para ela, isso significa desafiar seus pais e manter um segredo muito perigoso a respeito de seu próprio bem-estar. Para ele, isso significa lutar contra seu passado de lobisomem... e descobrir uma maneira de sobreviver no futuro. Adicione a essa mistura um novo lobo chamado Cole, cujo passado tem o potencial de destruir toda a matilha, e Isabel, que já perdeu seu irmão para os lobos, e, apesar disso, se sente atraída por Cole".
ESSA RESENHA CONTÊM SPOILERS 






Minha opinião - No segundo livro da trilogia "Os lobos de Mercy Falls" vamos conhecer os personagens. Parece estranho dizer isso já no segundo livro, mas é exatamente essa a sensação que tive durante a leitura. Isabel, a garota mimada do início do primeiro livro, mostra-se um ser humano excepcional, mesmo tendo sido criada por pais instáveis e com um irmão problemático. 
Os capítulos agora são narrados por quatro personagens: Sam e Grace, Isabel e Cole, um dos novos lobos transformados por Beck no primeiro livro. O fato da Isabel poder contar a sua história, tira a personagem do status de secundária no primeiro livro e agora a transforma em uma protagonista. Nada mais do que merecido, pois apesar de alguns momentos de recaída, Isabel torna-se indispensável no livro. 
Mais uma vez a autora utiliza a matilha e o místico para debater sobre os problemas humanos, principalmente através do Cole. Cole inicia o livro como problemático e até mesmo como arredio. Conforme avançamos na história pessoal dele não nos apaixonamos por Cole, mas começamos a compreendê-lo.
"Beck me disse que os três novos lobos que ele criara haviam sido recrutados - que sabiam no que estavam se metendo. Não ponderei, na época, que tipo de pessoa escolheria esse tipo de vida. Alguém que voluntariamente se disporia a perder um período cada vez maior do ano até chegar a hora de dizer adeus a tudo. Era uma espécie de suicídio, pensando bem, e, assim que a palavra me ocorreu, fui levado a encarar o sujeito de uma forma totalmente diferente". (p. 65)
Uma outra situação começa a ganhar destaque na série: a saúde de Grace. Coisas estranhas começam a acontecer e apesar do leitor compreender o resultado desde o início do livro, é ao chegar ao final dessa leitura que sente que a verdade é revelada. A dinâmica familiar de Grace também começa a se alterar, o que causou uma certa irritação durante a leitura, pois é difícil esquecer o quanto eles são relapsos em relação à Grace.
Além disso, com a transformação de Olívia e o acobertamento dos amigos, Sam se torna alvo de investigações, já que algo estranho sempre parece acontecer com ele. Shelby continua mostrando suas facetas de forma bem desagradável.
Sam continua o cara certinho, que se inspira com Grace a todo momento (o leitor continua acompanhando os seus poemas durante a leitura), mas agora surge nele um novo sentimento, já que é possível sonhar com uma vida humana completa.
Em relação a revisão, diagramação e layout a editora está de parabéns pelo trabalho. O que me incomodou foi a mudança do tamanho do livro (que é muito menor que o primeiro) e a mudança brusca no design da capa, que deixou o primeiro livro muito diferente do segundo.
Espero que tenham gostado da resenha.
Aguardo comentários.
Beijos
Carol
"Não permitirei que este seja o meu adeus. Transformei em mil pássaros de papel as lembranças de nós dois e formulei um desejo". (p.359)

0 comentários:

Postar um comentário

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |