02 julho 2013

Resenha: "Corajosos" - Randy Alcorn

Sinopse - "Como policiais, Adam, Shane, Nathan e David enfrentam bravamente gangues violentas e o tráfico de drogas na cidade de Albany. No entanto, o maior desafio de sua vida não está nas ruas, mas dentro de casa. A relação de cada um desses homens com a esposa e os filhos está ruindo, mas nenhum deles faz nada para resolver a situação. Apenas quando uma tragédia se abate sobre Adam é que eles percebem que precisam mudar seu comportamento e reconquistar a confiança de suas famílias. Com a fé abalada, Adam começa a estudar a Bíblia para descobrir o que Deus espera dele como pai e o que deve fazer para se tornar uma pessoa melhor. Assim, descobre nas palavras de Jesus a sua verdadeira missão: deixar um legado positivo para seu filho e ajudar outros pais a colocar a família em primeiro lugar. Tocado por esse aprendizado, Adam inspira seus amigos a assinar um documento comprometendo-se a ser pais e maridos mais presentes. A “Resolução” acaba tomando uma proporção maior do que o imaginado e se tornando um valioso instrumento para transformar centenas de vidas. Baseado no filme homônimo de Alex e Stephen Kendrick, Corajosos mostra como a relação com os pais pode marcar profundamente – para o bem ou para o mal – a vida de uma pessoa".


Minha opinião - Sem sombra de dúvidas fui surpreendida de forma positiva por esse livro. O livro possui um grande apelo religioso, mas não irei discutir esse fator na resenha. Conforme explicado na sinopse, o livro gira em torno da vida de quatro policiais: Adam, Shane, Nathan e David. Profissionais esforçados, dedicados a proteger a população. Inicialmente vamos conhecer a história de Nathan Hayes, 37 anos e sua mudança para Albany, para fornecer a sua família uma maior segurança. Infelizmente as boas-vindas para Nathan não são boas, e ele vê sua vida e a de seu filho em grave perigo. A cena inicial de Nathan é impactante, trazendo ao leitor uma mistura de sentimentos: aflição, incredulidade e esperança.


Outro policial que ganha destaque é Adam Mitchell, que apesar de ser um oficial respeitado, não consegue se envolver com sua família, principalmente com o seu filho adolescente Dylan, de 15 anos e sua esposa compreensiva, a Vitória.O único membro da família que Adam se conecta, é sua filha de 9 anos, Emily (uma fofa). Infelizmente, uma grande tragédia assola a família Mitchell e Adam precisa aprender a se relacionar com sua esposa e filho para poder seguir em frente.

O livro é uma grande reflexão sobre os núcleos familiares. Nos esforçamos tanto para conseguir prover bens materiais para nossas famílias, mas às vezes nos esquecemos de nos conectar, perguntar como foi o dia do próximo, tentar aprender sobre os interesses e gostos. Damos por certo que a estrutura familiar se mantêm inabalada, mas se não cultivarmos o amor dentro de casa, como podemos esperar que a família se mantenha intacta? Esse é o tipo de reflexão que eu me vi fazendo durante a leitura de "Corajosos". Como seus princípios podem ser questionados ou perdidos quando uma "oferta tentadora" aparece. Como um erro do passado pode ser consertado, quando outras pessoas foram magoadas? Como lares desfeitos, produzem jovens confusos que se voltam a gangues para se sentir parte de uma família? Foram essas e tantas outras questões que os personagens Shane Fuller, que é o parceiro de Adam, David Thomson e os integrantes da Nação gangster trazem para reflexão dos leitores.

Conforme eu comentei anteriormente, o livro baseia-se em fé e religião, mas eu acredito que independente do credo do leitor, as reflexões levantadas nos livros servem para possamos avaliar e valorizar nossas famílias, amigos e comunidade.

Em relação a revisão, diagramação e layout a editora está de parabéns pelo trabalho realizado. A capa demonstra a trama de forma sucinta e chamou a atenção.

Espero que tenham gostado da resenha.

Beijos

Carol

5 comentários:

  1. Oi Carol!
    Amei a resenha, não conheço o livro, tb não assisti o filme, e vc conseguiu passar uma trama bem interessante, principalmente por não focar no xis da questão religiosa e apresentar os personagens com destaque psicológico e propor a reflexão sobre a família.
    A Arqueiro está mandando super bem nos livros e traz pontos de vista interessantes para questionar.
    Certamente vou colocar na minha lista de próximas leituras, quero conhecer esses 4 policiais e suas famílias.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Não me lembro se assisti ao filmes, mas se eu tiver assistido, ai não irei conseguir ler o livro, simplesmente pq nao consigo .-. Bom, não curti muito tambem pq não é bem meu tipo de livro. Até gostei da ideia desse quarteto de homens e tudo mais, porem eu não pensei em mais nada do que ter somente a reflexao de familia no livro, na mesma tecla, mesmo que o assunto fosse e voltasse. Ah, mas p quem curti é ótima dica ^^

    ResponderExcluir
  3. Oi Carol!

    Eu li esse livro e amei! E para mim, o que mais chamou a atenção foi a religiosidade dele mesmo. Concordo com você que qualquer pessoa, independente da religião, pode ler e entender a mensagem do livro. Mas a forma como Deus agiu foi divina, coisa dEle mesmo. Eu adorei toda a trama, muito legal! A sua resenha está ótima!

    Beijos,

    Marcelle
    www.bestherapy.net

    ResponderExcluir
  4. Já ouvi falar super bem desse livro, ele deve ser ótimo! E gostei muito da sua resenha. :)

    Lindo o seu blog, já estou seguindo!
    Ta rolando sorteio de um livro no meu blog, corra e participe!
    theplugados.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu não me interessei muito pelo livro.... Parece sim, muito maravilhoso e emocionante, mas mesmo assim não me senti atraída por ele.
    Nunca gostei de livro q envolva religião e assuntos familiares, isso realmente não me atrai. Mas acho q muitas pessoas vão gostar.....

    ResponderExcluir

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |