26 julho 2013

Entrevista com Edson Gomes

Galera, o Edson Gomes foi super gentil e nos concedeu essa entrevista, espero que gostem e comentem. 



1- Quem é Edson Gomes?
Já me fiz essa pergunta uma centena de vezes. Vou tentar ver em mim, como um personagem. Vamos lá! Edson é um cara de bem com a vida. Tem uma família maravilhosa, que só dá alegrias. Os amigos, que ele tem são os melhores, cada um com o seu jeito de ser. É um sonhador  inveterado, mas com os pés no chão. Ama viver e tem Deus como melhor parceiro nas decisões importantes. 

2- Fale sobre Psíquico.
Psíquico é a história de Rafael Duarte, um homem comum, com costumes comuns e uma vida comum, igual a qualquer pessoa, mas Deus lhe deu um dom divino. Ele tinha o poder de se conectar com espíritos, que pediam a sua ajuda, com intuito de mostrar o caminho da luz e da justiça. Ele, de inicio, não sabia que tinha este dom especial, desde o dia que seu pai revelou um segredo de infância guardado a sete chaves.
Quando as imagens de uma lembrança, que não eram as dele, começaram a aparecer em flashes repentinos em sua mente, isso era o indicio de um primeiro contato espiritual. Contato este, que o assustou muito, pois nunca tinha pressentido aquilo antes na vida. Psicologicamente, Rafael precisava de alguém, que o apoiasse naquele momento de confusão mental, pois passava por uma crise num relacionamento amoroso.
Num dia de temporal de verão no Rio de Janeiro, voltando de carro do trabalho para casa, Rafael deu carona a uma mulher chamada Sônia, em um ponto de ônibus próximo a linha férrea. Depois de tanto conversar, Rafael decidiu levá-la em casa. Eles se despediram amigavelmente. Sônia esqueceu um terço sobre o banco do carona e ele decidiu entregá-lo no dia seguinte. Rafael ficou sabendo que a tal mulher, a qual tinha dado carona no dia anterior, havia morrido a 30 anos.
O terço era o aviso, que Rafael tinha recebido de Deus uma missão, com intuito de ajudar o espírito de Guilherme a encontrar os culpados de seu assassinato. Terço este, que nunca o deixava, pois só voltaria para a dona, quando a missão, que foi confiada a ele como um poderoso médium, tiver sido solucionada.
O que Rafael realmente não sabia, era que por trás da trágica morte de Guilherme, havia uma grande conspiração e agora ele também fazia parte dela.


3- O que, para você, não pode faltar para que um livro seja completo?
Emoção. O leitor quer chorar, rir, irar-se com o personagem o chamando de burro e sentir saudades na última página. Se isso ocorrer, comemore, pois a missão foi cumprida.

4- Para falar de um tema tão cheio de tabus e mistérios como a mediunidade foram necessárias muitas pesquisas?
Sim, ainda mais que eu não sou espírita, sou católico. A minha sorte, que tenho tias espíritas e tive que conversar muito com elas. Houve um domingo, que passei oito horas conversando sobre o assunto que estava abordando no livro e elas foram de uma paciência invejável para me explicar. Visitei o centro em que elas frequentavam e participei de algumas reuniões. Eles fazem um trabalho muito bonito, inclusive de ajuda aos necessitados. Para complementar as minhas pesquisas, li O Livro dos Médiuns de Allan Kardec.
Para que fique bem claro, Psíquico não é um livro doutrinário e sim uma ficção como outra qualquer.   

5- Quais são seus personagens favoritos e quanto tempo durou o processo de criação deles?
Bem, eu gosto de todos eles, mas eu tive maior afinidade com o pequeno João, filho da Vera. Ele me divertiu com o seu jeitinho infantil de ser. Os personagens foram construídos junto com o enredo, conforme as necessidades que a história proporcionava. Antes de escrever a primeira linha de Psíquico, eu já tinha o final estruturado em minha mente. Eu escrevi a minha obra em oito meses e passei onze lapidando-o (fazendo revisão).

6- Você teve algum livro, filme ou música que te deu inspiração?
Que eu me lembre não. Eu acredito, que as conversas com as minhas tias, tenham incentivado nessa criação.

7- O que podemos esperar para o futuro? Algum livro novo?
Estou querendo relançar um livro que escrevi em 2009, mas não teve muita repercussão. Eu tenho três obras já escritas no computador, mas esperando a melhor oportunidade para lançá-los.

8- Você acha que os blogs e sites literários têm um papel fundamental na divulgação da literatura num contexto geral?
São importantíssimos, pois os meios de comunicações convencionais não dão espaço para isso. Eu lancei meu primeiro livro solo em 1999 e naquela época ninguém sabia o que era Internet e o meu livro passou invisível para os leitores.

9- O que você acha que falta para que os livros sejam mais acessíveis no Brasil?
Valorização dos escritores nacionais. Há uma gama enorme de talentos espalhado por aí. Aposto, que se colocar os livros nacionais na mesma vitrine com os estrangeiros, não perderemos nada em qualidade de enredo. Falta um pouco de cooperação entre as livrarias e as novas editoras que lançam autores brasileiros.

10- Deixe um recado para seus leitores.
Quero agradecer a todos, que leram até aqui e deixo um grande abraço. Agradecer a você também Alef, por este espaço dedicado a literatura nacional.

8 comentários:

  1. Obrigadão,mais uma vez, pela oportunidade das pessoas saberem de meu trabalho, Alef.

    Um abração.
    Edson Gomes.
    http://edprod.wix.com/psquico

    ResponderExcluir
  2. Legal essa entrevista, confesso que não conhecia o livro. Bom, boa oportunidade para conhecê-lo agora!!
    Então, passando para avisar que tem selinho para você lá no blog:
    http://conformealetra.blogspot.com.br/2013/07/um-novo-selinho.html

    Até mais :)

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não conhecia o autor.
    Adorei a entrevista, penso que os blogs literários fazem um importante elo entre autores e leitores. Adorei conhecer o autor Edson Gomes e amei a premissa do livro.
    Vou procurar saber mais a respeito e certamente vou colocar na minha whislist.
    Psíquico nos traz um personagem "real" que permite a identificação e que faz com que criemos um laço de "amizade", daqueles que qd o livro acaba sintamos saudades.
    É isso aí: um bom livro nos emociona e é envolvente.
    Parabéns pela entrevista e parabéns ao autor.
    Nossa literatura nacional está com ótimos nomes e numa excelente fase!
    abraço

    ResponderExcluir
  4. Oi Alef, tudo bem?
    Estou louca para ler o livro do Edson! A sinopse é muito boa e os elogios sobre o trabalho do escritor são diversos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi!!

    Ainda não conhecia o autor! Gostei bastante da entrevista.
    Beijos,
    Carol - http://hconcours.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia esse autor, mas fiquei muito afim de ler esse livro dele, parece uma obra completa, com mistérios, suspense, intrigas, eu ja li muitos livros espíritas e embora eu não seja espirita, assim como o Edson, essa é uma área que me atrai muito! Adorei a entrevista, se vê que é uma pessoa muito simpática e que com certeza, se tiver mais divulgação de seu trabalho, o sucesso é certo! Bjão!

    ResponderExcluir
  7. Achei o autor bem simpatico, concordo com ele sobre o livro ter Emoções em um livro, pois sem isso fica super sem graça.

    xx

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela entrevista!!
    Realmente gostei curiosa sobre o livro... Concordo com o autor, o q não pode faltar num livro é emoção, e espero q Psíquico tenha bastante emoção!!!
    Sucesso ao autor!!!

    ResponderExcluir

Ficamos muito felizes quando você comenta e nos faz saber no que erramos e acertamos. Comente! Isso é muito importante.

 
| Floreios e Borrões | Copyright © 2014 | Código by Ipietoon | Design Marcelle Dantas |